Francisco, os casais divorciados e o Sínodo da Família

Na última Catequese com o Papa, 5 de agosto, Francisco escolheu um assunto delicado sobre as famílias, especialmente para a Igreja: casais divorciados em segunda união. Disse querer tratar de “como ocupar-nos daqueles que, depois do fracasso irreversível do seu vínculo matrimonial, empreenderam uma nova união.”

A mensagem rapidamente repercutiu nos veículos de comunicação em todo o mundo, com especial destaque para o trecho de que os divorciados em segundo casamento “não estão excomungados; com efeito, estas pessoas não devem absolutamente ser tratadas como tais: elas fazem parte da Igreja.” Na catequese, Francisco demonstrou sua preocupação e ainda declarou a necessidade de “um acolhimento real para com as pessoas que vivem essas situações” para que elas “sintam a Igreja como mãe atenta a todos, sempre disposta à escuta e ao encontro.”

A declaração é considerada por especialistas como a mais direta sobre o assunto já proferida por um papa. Mas nem por isso deveria causar tanto furor, afinal, é típico de Francisco tratar de assuntos de maneira clara e direta, sejam eles dogmas da fé, questões teológicas ou assuntos cotidianos. Bergoglio se expressa com palavras simples, abusando de analogias e figuras de linguagem, em tom de conversa. Como se fosse um padre de paróquia, ou melhor, como se fosse um pai, ele se comunica com os fiéis em todo o mundo. Na realidade, podemos considerar que Francisco é o papa mais direto de toda a história da Igreja.

Outro ponto que amenizaria a repercussão da Catequese é a falta de ineditismo da posição defendida pelo atual pontífice. Utilizando citações de seus antecessores, Bento XVI e João Paulo II, Francisco reafirmou a postura pastoral da Igreja de que os casais divorciados não são excomungados, mas são, pelas regras da Igreja, apenas impedidos de tomar a comunhão. E sobre isso, o atual papa não declarou nenhuma mudança, mas pode tê-la indicado.

A catequese da última quarta pode apontar para o desejo do papa em mudar as indicações pastorais e, quem sabe, sacramentais para a situação de fiéis separados e casados novamente. A série de reflexões feitas pelo papa sobre o tema das famílias antecede a realização do Sínodo dos Bispos para a Família (marcado para outubro) e não é por acaso!

Francisco parece indicar aos bispos convocados para o encontro suas linhas de pensamento referente às diversas questões da vida das pessoas que atinge a instituição família e o sacramento do matrimônio. Não resta dúvida sobre o desejo de mudanças do bispo de Roma para toda a Igreja, entretanto as dúvidas pairam sobre qual a interpretação dos bispos e sobre os caminhos que serão tomados no Sínodo.

Autor: Thiago Caminada

Jornalista, Mestre em Jornalismo (UFSC). Coordenador do "Olhar Vaticano". Assessor de comunicação, servidor público de carreira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s