Francisco na Bulgária: “Deus chama, surpreende e ama”

O Papa Francisco iniciou neste domingo (05) sua viagem apostólica a Bulgária e Macedônia do Norte. Durante a manhã, desembarcou em Sófia, capital búlgara, para seus primeiros compromissos. Encontrou-se com as autoridades do país e com o Patriarca Neofit. À tarde presidiu uma missa na
na Praça Knyaz Alexandar I e apresentou três realidade divinas diante da humanidade: “Deus chama, Deus surpreende, Deus ama”. Pediu também uma “Igreja jovem, uma pessoa jovem, não pela idade, mas pela força do Espírito” para testemunhar Cristo.

Sobre o chamado de Deus, o Santo Padre falou que Ele “chama-nos cada dia para reviver a nossa história de amor com Ele, para voltar a fundar-nos na novidade”. Para isso, “o Senhor não espera situações ou estados de ânimo ideais, cria-os. Não espera encontrar-Se com pessoas sem problemas, sem decepções, sem pecados ou limitações”. A atitude de Jesus contrasta com “o pragmatismo cinzento da vida, na qual aparentemente tudo procede dentro da normalidade, mas na realidade a fé vai-se apagando e degenerando na mesquinhez”. O Papa classificou o pragmatismo como a maior ameça para uma comunidade cristã.

Ao falar do Deus que surpreende, Francisco o apresentou como alguém “que rompe os fechamentos paralisadores, restituindo a audácia capaz de superar a suspeita, a desconfiança e o medo que se esconde por trás do ‘sempre se fez assim’.” “Deus surpreende, quando chama e convida a lançarmos, já não as redes, mas a nós mesmos ao largo na história e a olhar a vida, a olhar os outros e também a nós mesmos com os seus próprios olhos”, disse o Papa.

Por fim, na dimensão do amor, o Pontífice definiu o cristão como alguém chamado “a ter confiança que o Amor de Deus é maior do que qualquer limite ou pecado.” Francisco disse ter um grande desgosto quando o anúncio e o testemunho de Deus se dá de uma forma na qual as pessoas não O vêem como amor.

Regina Coeli em Sófia
Antes da missa, o Papa Francisco participou de seu primeiro compromisso com a multidão na Praça S. Alexandre Nevsky, em Sófia, para o Regina Coeli. A oração mariana substitui o Angelus durante o período pascal. Em seu pronunciamento, o argentino lembrou o Papa São João XIII. O pontífice é reconhecido pelos fiéis da região como santo búlgaro, por seu trabalho como diplomata no país. Lá, Guisepe Rocalli foi Núncio Apostólico e aprendeu na prática os valores do ecumenismo.

Francisco pediu à Nossa Senhora de Nesebar, padroeira da Bulgária, para que “dê a esta amada terra o impulso sempre necessário de ser terra de encontro, na qual, independentemente das diferenças culturais, religiosas ou étnicas, possais continuar a reconhecer-vos e estimar-vos como filhos de um mesmo Pai”.

Os próximos passos
Na segunda (06), o Papa permanecerá na Bulgária. Francisco irá a um campo de refugiados, presidirá uma missa e rezará pela paz. Na terça-feira (07), o Santo Padre seguirá para a Macedônia do Norte onde encerrará sua viagem apostólica.

O Olhar Vaticano acompanha o Papa Francisco em sua viagem. Fique por dentro da cobertura completa no InstagramFacebookTwitter e site.

Francisco durante a missa. Créditos: Vatican Media.

Autor: Thiago Caminada

Jornalista, Mestre em Jornalismo (UFSC). Coordenador do "Olhar Vaticano". Assessor de comunicação, servidor público de carreira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s