Francisco na Romênia: papa celebra amor, liberdade e misericórdia

O Papa Francisco realizou no último final de semana mais uma viagem apostólica em países europeus de pequena influência católica. O destino da vez foi a Romênia entre os dias 31 de maio e 2 de junho. O Santo Padre mais uma vez manifestou seus esforços ecumênicos e volta a alertar para uma Europa cada vez mais secularizada a importância das raízes cristãs no continente.

No encontro com os jovens e as famílias em Iasi, no sábado (01), Francisco falou de diálogo e respeito às diferenças ao frisar a expressão “caminhar juntos”. Para o Pontífice “o Espírito abraça as nossas diferenças e nos dá a força para abrir sendas de esperança, fazendo valer o melhor de cada um”. “Não podemos esperar que sejam os outros a fazê-lo; toca-nos a nós! Somos responsáveis; toca a nós!”, clamou Francisco.

Ainda no encontro com os jovens e famílias romenas, Francisco refletiu: “É difícil caminhar juntos, não é verdade? É uma graça que devemos pedir, uma peça artesanal que somos chamados a construir e um dom maravilhoso a transmitir.” E, por fim, chamou todos a se entregarem ao amor e a Deus. “Porque sem amor e sem Deus, nenhum homem pode viver sobre a terra”, disse.

Ao celebrar um liturgia de Beatificação de sete bispos greco-católicos mártires, no domingo (03), o Papa Francisco destacou a importância da liberdade e a misericórdia de Deus manifestada nas pessoas. No Campo da Liberdade, em Blaj, o Santo Padre clamou que se colocassem as pessoas no centro das decisões. Criticou “as resistências e hostilidades que surgem no coração humano, quando no centro, em vez das pessoas, se colocam interesses particulares, rótulos, teorias, abstrações e ideologias, que, onde campeiam, nada mais fazem senão cegar tudo e a todos”. O Papa afirmou que Deus “procura a pessoa com o seu rosto, com as suas feridas e a sua história. Vai ao encontro dela, e não Se deixa enganar por discursos que são incapazes de dar a prioridade e pôr no centro aquilo que realmente é importante”.

Ao lembrar os sete Bispos greco-católicos, Francisco lembrou seus testemunhos durante o período da prisão e na doação de suas vidas. Aos fiéis, o Papa pediu para olharem os exemplos dos beatos para “ser testemunhas de liberdade e misericórdia, fazendo prevalecer a fraternidade e o diálogo sobre as divisões, incrementando a fraternidade do sangue que tem a sua origem no período de sofrimento em que os cristãos, divididos ao longo da história, se descobriram mais próximos e solidários”.

Francisco também esteve em Bucareste, capital da Romênia, e, depois de três dias, regressou a Roma. Esta é a quinta viagem apostólica internacional do Papa em 2019. O Santo Padre esteve em janeiro no Panamá para a JMJ e depois visitou Emirados Árabes, Marrocos, Bulgária e Macedônia do Norte em três viagens. O Olhar Vaticano esteve na cobertura de todos estes eventos, clique nos links e acompanhe.

O papa Francisco caminha de mãos dadas e ao lado de quatro crianças vestidas de roupas típicas.
Créditos: Vatican Media.

| INSTAGRAM| FACEBOOK| TWITTER |

Autor: Thiago Caminada

Jornalista, Mestre em Jornalismo (UFSC). Coordenador do "Olhar Vaticano". Assessor de comunicação, servidor público de carreira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s