A foto mostra o Papa Francisco de costas enquanto contempla o ícone de Maria Salus populi romani.

Papas e as pestes, pragas, epidemias e pandemias na história: Praga de Justiniano

Praga no Papado Bizantino

O Olhar Vaticano percorre a história da humanidade e a história da Igreja para contar sobre a relação do Papas com as pragas, pestes, epidemias e pandemias com série de textos. Depois das pestes Antonina e de Cipriano, chegamos a Praga de Justiniano.

Praga de Justiniano
A peste de Justiniano leva o mesmo nome do imperador romano do Oriente na época. Historiadores a consideram primeira pandemia da humanidade, porque contaminou toda a Ásia, África e Europa e matou cerca de 2 milhões de pessoas. Seu auge foi entre os anos 540 e 544, mas acredita-se que a praga de Peste Bubônica tenha durado mais de 200 anos.

A doença matou a imperatriz Teodora, grande financiadora do Papa Vigílio, Pontífice no período. A realeza bizantina tentou corromper o 59º Papa da Igreja, mas sem sucesso. Sua morte foi associada em Constantinopla como castigo divino por sua promiscuidade. Apesar das ideias de represália de Deus contra os pecadores, desde os primeiros séculos já se tinha noção que o contato com pessoas infectadas e suas roupas poderiam transmitir a doença. Mesmo com os rumores de morte pelos pecados, as intrigas diminuíam ao verem pessoas consideras justas morrerem pela mesma doença.

Comentários

Um comentário em “Papas e as pestes, pragas, epidemias e pandemias na história: Praga de Justiniano”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s