Francisco cria a Fundação Papa João Paulo I

O Papa Francisco instituiu a Fundação Vaticana João Paulo I. Quarenta e dois anos após o breve pontificado de 33 dias, o italiano Albino Luciani é lembrado por Francisco ao formar uma fundação para estudos, aprofundamento do Magistério e promoção da figura e seus ensinamentos. Essa é mais uma evidente característica que une Luciani a Bergoglio, dois Papas com desejo reformista de inspiração no Concílio Vaticano II.

Essa é a opinião de Gian Pietro Bontempi, autor de um livro sobre o papa vêneto. “Como eu disse no meu livro: Carisma e Mistério, Biografia do Papa João Paulo I (leia a resenha em Olhar Vaticano), seu magistério de apenas 33 dias foi como um meteorito que iluminou o céu”, declarou. Para o escritor italiano radicado no Brasil “o pensamento profundo do Pontífice será sempre um pilar na doutrina da Igreja”, apesar de seu breve pontificado em 1978. “O Papa Francisco reconhece o valor espiritual da palavra do Papa Luciani”, avalia Bontempi.

O escritor que conheceu Albino Luciani quando criança explica que a fundação “além de preservar o patrimônio cultural e religioso do Pontífice, funcionará como centro cultural internacional ativo em congressos, palestras e novos estudos com o objetivo de manter atual e viva a figura do grande Papa que está no processo de beatificação”.

Papa João Paulo I no Brasil
Antes de se tornar Papa, Albino Luciani visitou o Brasil quando era cardeal e Patriarca de Veneza, em 1975. Essa visita e outras visitas estão no texto exclusivo de Olhar Vaticano As viagens dos Papas ao Brasil.

A estrutura da Fundação
A Fundação é presidida pelo Secretário de Estado do Vaticano Pietro Parolin e tem como vice-presidente e coordenadora do Comitê Científico a jornalista Stefania Falasca. O organismo foi criado pelo Papa Francisco em fevereiro de 2020 e seus primeiros membros nomeados em agosto deste ano pelo cardel Parolin.

Em artigo publicado pelas mídias vaticanas, o cardeal italiano número dois na hierarquia escreveu: “A história de Albino Luciani é a de um pastor próximo do povo, centrado no essencial da fé e com uma extraordinária sensibilidade social. O seu magistério é atual. Proximidade, humildade, simplicidade, insistência na misericórdia de Deus, amor ao próximo e solidariedade são as suas características salientes”. Notáveis características que aproximam João Paulo I de Francisco.

Foram nomeados membros do Comitê Científico: Carlo Ossola, filólogo e professor do Collège de France, em Paris; Darío Vitali, Ordinário de Eclesiologia e diretor do Departamento de Teologia Dogmática da Pontifícia Universidade Gregoriana; Monsenhor Gilfredo Marengo, ordinário de Antropologia Teológica e vice-presidente do Pontifício Instituto Teológico João Paulo II para as Ciências do Matrimônio e da Família da Pontifícia Universidade Lateranense; Mauro Velati, colaborador da Fundação para as Ciências Religiosas João XXIII e da causa de canonização de João Paulo I; Diego Sartorellli, diretor da Biblioteca e Arquivo Histórico do Patriarcado de Veneza; e Loris Serafini, arquivista e diretor do Museu Albino Luciani da cidade italiana de Canale d’Agordo.

Autor: Thiago Caminada

Jornalista, Mestre em Jornalismo (UFSC). Coordenador do "Olhar Vaticano". Assessor de comunicação, servidor público de carreira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s