A foto mostra o papa Francisco acenando e vestido com adereços indígenas. Ao fundo, encontram-se alguns representantes de populações indígenas.

A música de Vinícius de Moraes citada por Francisco: Samba da Benção

“A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro na vida”. Este é o trecho do Samba da Benção de Vinícius de Moares citado pelo Papa Francisco em sua mais nova encíclica Fratelli Tutti, Todos Irmãos. O verso inicia o parágrafo 215 do documento e está no sexto capítulo “Diálogo e Amizade Social”. Um dos trechos mais interessantes da nova encíclica quando o Pontífice fala de “uma nova cultura”, sua tão defendida “cultura do encontro”.

A foto mostra o papa Francisco de costas acenando para a multidão na praça.

Mensagem de Páscoa do Papa Francisco: O Senhor da vida não nos encontre frios e indiferentes

Neste Domingo de Páscoa (21), o Papa Francisco presidiu a solene missa da Ressurreição e, em seguida, o Pontífice concedeu aos fiéis na Praça São Pedro e a todo o mundo a tradicional bênção Urbi et Orbi. Comovido e preocupado com a violência e os conflitos ao redor do mundo o Santo Padre falou da sacada da basílica papal: “Perante os inúmeros sofrimentos do nosso tempo, o Senhor da vida não nos encontre frios e indiferentes. Faça de nós construtores de pontes, não de muros”.

A imagem mostra o papa Francisco de costas acenando do balcão principal da Basília São Pedro. Na sua frente, está o povo na praça.

A origem e o significado da bênção Urbi et Orbi

A expressão latina “Urbi et Orbi” significa “à cidade [de Roma] e ao mundo”. Esse é o nome dado à bênção pronunciada pelo Papa na sacada central da Basílica São Pedro em três ocasiões. Todos os anos, o rito é celebrado no dia de Natal e no dia da Páscoa, as maiores festas cristãs. Além dessas datas, a bênção é concedida no dia da eleição de um novo papa logo após o resultado do Conclave. Ela pode ainda ser invocada pelo Pontífice em ocasiões específicas como na pandemia de coronavírus COVID-19, em março de 2020.