Opositor público do Papa Francisco, Steve Bannon, é preso nos EUA

Preso na última quinta-feira (20), Steve Bannon é conhecido como ex-assessor da Casa Branca e de Donald Trump, mas desde sua demissão do cargo em 2017 sua principal ocupação é o Instituto Dignidade Humana. Com sede no sul da Itália, o órgão reúne os opositores do Papa Francisco e oferece cursos para conservadores em todo o mundo.

Sínodo Pan-Amazônico é o novo desafio de Francisco para a condução da Igreja

Dono de grande carisma, o Papa Francisco parece passar pela sua primeira crise de imagem popular. O Sínodo Pan-Amazônico atrai a atenção dos católicos sobre o tema e deixa o Pontífice em maus lençóis. Instigados pelas redes sociais que levaram Bolsonaro ao Palácio do Planalto, os fiéis brasileiros passaram a enxergar o encontro sinodal como um evento político.

Na foto Dom Guilherme está sentado à mesa com os braços cruzados sobre ela. Ele olha em diagonal para a frente. Atrás dele, na parede, estão os quadros de seus antecessores.

Entrevista com Dom Guilherme Werlang, bispo de Lages

Um olhar em defesa da CNBB e sobre a Diocese de Lages | Dom Guilherme Antônio Werlang é o bispo mais recente em Santa Catarina, há pouco mais de um ano em Lages. Viveu grande parte de seu ministério sacerdotal e episcopal no Rio Grande do Sul e Goiás. O catarinense de São Carlos exerceu cargos de grande importância na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) como a presidência da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz. Em entrevista exclusiva para o Olhar Vaticano, Dom Guilherme fala de sua diocese, da possibilidade de criar uma nova arquidiocese no estado e, em especial, do Sínodo Pan-Amazônico, rebate todas as críticas lançadas à CNBB. Concedida na Cúria Diocesana de Lages, a entrevista aconteceu em 23 de maio de 2019, dia dos primeiros protestos nacionais contra os cortes de verbas no Ministério da Educação do governo Bolsonaro – um dos críticos citados pelo bispo.

Igreja aguarda reforma da Cúria e Papa age com cautela

Esperada para o último sábado (29), a publicação da Constituição Apostólica Praedicate Evangelium (Proclamar o Evangelho) ficou para mais tarde. O dia foi marcado pela tradicional e solene liturgia de São Pedro e São Paulo, mas se tornou ‘comum’ para quem esperava a Reforma da Cúria Romana. As últimas notícias são de que o C6, grupo de cardeais responsáveis pela reforma, entregaram a redação final do texto no sábado, após revisões e alterações solicitadas por especialistas.

A foto mostra o papa Francisco em primeiro plano caminhando com o olhar para baixo. Em segundo plano, desfocada, está uma estátua da praça São Pedro.

Reforma da Cúria se aproxima e grupos conservadores contra-atacam

Dada como certa, a Reforma da Cúria Romana proposta pelo Papa Francisco causa temor na estrutura interna do Vaticano e grupos tradicionalistas e conservadores se armam contra o reformador em quanto ainda há tempo. A tentativa, talvez, é de protelar as mudanças ou descreditá-las. O fato é que não há como barrar o curso de um rio com sua nascente nas congregações anteriores ao Conclave que elegeu Bergoglio. Assim também, não parece possível que os maiores defensores da infalibilidade papal nos tempos de Bento XVI consigam agora desacreditar um papa forte. As atitudes dos opositores parecem choro de crianças mimadas.