A foto mostra o Papa João Paulo I sorrindo.

Francisco cria a Fundação Papa João Paulo I

O Papa Francisco instituiu a Fundação Vaticana João Paulo I. Quarenta e dois anos após o breve pontificado de 33 dias, o italiano Albino Luciani é lembrado por Francisco ao formar uma fundação para estudos, aprofundamento do Magistério e promoção da figura e seus ensinamentos. Essa é mais uma evidente característica que une Luciani a Bergoglio, dois Papas com desejo reformista de inspiração no Concílio Vaticano II.

Papa Francisco recebendo uma camisa do San Lorenzo de Almagro. Créditos: Dan Kitwood/Getty Images

Pode me chamar de Francisco: O Papa e San Lorenzo de Almagro

Jorge Bergoglio, então superior provincial dos Jesuítas, batiza o filho da juíza Alicia Oliveira e vai até a casa da magistrada para um jantar. Depois de batizar a criança com o nome Alejandro ‘Jorge’, em sua homenagem, Bergoglio assiste entusiasmado junto dos outros dois filhos de Alicia a um jogo do San Lorenzo de Almagro, seu time do coração.

A imagem mostra contrapostas as capas da edição argentina e da edição brasileira do livro.

Resenha: O Papa Francisco: conversas com Jorge Bergoglio, de Sergio Rubin e Francesca Ambrogetti

Uma entrevista com o “padre Jorge” | Existem pessoas que, mesmo ao se esforçar para o contrário, acabam em evidência diante de determinadas situações históricas e sociais. Essa é uma característica dos grandes líderes. A incomparável nobreza com que vivem e compreendem a vida, fazem com que essas pessoas sejam maiores que seus cargos e seus ideais maiores que a si mesmos. Assim é Jorge Mario Bergoglio, o papa Francisco, personagem retratado na entrevista biográfica publicada pelos argentinos Sergio Rubin e Francesca Ambrogetti.

A imagem mostra os três repórteres na redação do jornal olhando para o editor. Dois estão sentados e um de pé ao lado do editor da equipe. Na imagem se vê muitos documentos, um computador e papéis sobre algumas mesas.

Resenha: Spotlight: segredos revelados, filme ganhador do Óscar

Uma reportagem paradigmática para o jornalismo e para a Igreja | Spotlight não é um filme sobre pedofilia na Igreja. É um filme sobre jornalismo. A trama mostra como se desenvolve um trabalho de apuração baseado em técnicas de investigação e entrevista jornalísticas para desvendar fatos ignorados pela sociedade e revelar uma história complexa. Os repórteres encontraram acontecimentos dispersos e, ao dar sentido a eles, perceberam um padrão e escreveram a mais importante e reveladora reportagem sobre os casos de abuso sexual na Igreja Católica.

A imagem mostra na primeira parte o Papa Francisco sorrindo com a mão direita no queixo. Acima da foto está escrito o nome do autor "Leonardo Boff". E abaixo está escrito "Francisco de Assis Francisco de Roma Um nova primavera na Igreja?". No outro lado, à direita, uma ilustração com São Francisco de Assis ao lado de uma pomba branca e com uma maçã na mãos esquerda. Ao fundo casas e um árvore florida. Acima da ilustração está escrito "Leonardo Boff". E abaixo está escrito "Francisco de Assis Francisco de Roma Um nova primavera na Igreja?".

Resenha: Francisco de Assis e Francisco de Roma: uma nova primavera na Igreja?, de Leonardo Boff

As ideias de um teólogo renegado | A eleição de Jorge Bergoglio como papa e a escolha do nome de Francisco motivou o controverso e renegado teólogo brasileiro Leonardo Boff a escrever mais uma vez sobre a Igreja Católica. De notória capacidade intelectual, Boff liderou a chamada Teologia da Libertação, vertente teológica muito difundida na América Latina nas décadas de 1970 e 1980. Como padre e religioso pediu afastamento em 1992, prestes a receber outra advertência pública da Congregação da Doutrina da Fé, deixando a Ordem dos Frades Menores (Franciscanos). Por isso, apesar de toda a polêmica envolvendo sua trajetória, Boff é alguém interessante a se ouvir quando sobre ao trono de Pedro um bispo latino-americano, que escolhe o nome de Francisco e, assim como ele, teve formação teológica em escolas alemãs.